Tulio Malaspina

Tulio Kengi Malaspina é formado em Comunicação Social com especialização em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP), têm diversos cursos voltados à redes digitais e sustentabilidade em instituições como ESPM, JumpEducation, São Paulo Digital School, Comunique-se, Escola de Ativismo e UMAPAZ. Já ministrou diversas palestras sobre comunicação e sustentabilidade em universidades como Unesp, Mackenzie, Ufscar e Unimep.

Trabalha como consultor de inteligência em engajamento e redes digitais, desenvolvendo e compartilhando modelos, técnicas e processos visando o aumento da efetividade de campanhas e projetos sociais voltados para a sustentabilidade. Seu trabalho é gerar insights a partir da coleta de dados e informações, buscando compreender as mecânicas entre o relacionamento das pessoas e o tema, facilitando assim a criação de estratégias que potencializem as interações e os resultados.

É fundador do laboratório de inteligência em engajamento e redes digitais SustentaLab, sócio no Coletivo Verde, editor no Atitude Eco, colaborador na Escola de Ativismo e sócio fundador da Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade (Abraps).

Contatos pessoais: Twitter | Linkedin | Facebook | SlideShare | Email: tuliomalaspina@gmail.com

Atitude Eco: Twitter | Facebook | Youtube
SustentaLab: Twitter | Facebook | Linkedin
Coletivo Verde: Twitter | Facebook
Abraps: Twitter | Facebook | Linkedin
Posts tagged "urbanismo"

No dia mundial sem carro, A PRAÇA É PÚBLICA

contraosistema:

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSDB), investiu orgulhosamente 6 mil reais no revestimento da área abaixo de um viaduto com pedras gnaisse. Pra que? Evitar que moradores de rua possam dormir no local.


-WTF? Por que o animal não investiu em abrigos? Grande cerébro!

thisbigcity:

Residents of Bogotá have decided to take urban design into their own hands. More on This Big City.

哥倫比亞波哥大居民決定,自已動手投入都市設計。更多內容請見城事

A cidade de São Paulo tem ao menos 22 favelas situadas em bairros nobres. Escondidas em ruas estreitas, persistem ante a falta de projetos municipais de reurbanização. Algumas surgiram há mais de 60 anos. São mais de 1,6 mil imóveis, com pelo menos 6 mil moradores.

O projeto Criaticidades tem como objetivo mostrar como a Economia Criativa pode contribuir para o desenvolvimento sócio-econômico das cidades brasileiras. Uma ideia original desenvolvida pela Garimpo de Soluções, empresa liderada pela economista Ana Carla Fonseca Reis, e a Umana Comunicação Inteligente, comandada pelo jornalista Ricardo Mucci.

A iniciativa é composta, inicialmente, por cinco programas e um site que vão apresentar a história e o conceito da Economia Criativa baseados em cases e entrevistas com especialistas brasileiros e estrangeiros, que mostram exemplos práticos e bem sucedidos de municípios que conseguiram bons resultados em buscar novas alternativas de desenvolvimento econômico, como Paulínia em São Paulo, e Paraty, no Rio de Janeiro.

Uma óbvia consequência de São Paulo ser a cidade do carro e ter hoje exatos 7.222.769 veículos licenciados é o alto índice de congestionamentos. Outra igualmente importante, mas pouco lembrada, é que São Paulo também pode ser chamada de a capital dos estacionamentos. Segundo uma pesquisa inédita da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli), com base em dados do mercado imobiliário desde 1930, cerca de 25% – ou um quarto – de toda a área construída no Município são usados para garagens.