Tulio Malaspina

Tulio Kengi Malaspina é formado em Comunicação Social com especialização em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP), têm diversos cursos voltados à redes digitais e sustentabilidade em instituições como ESPM, JumpEducation, São Paulo Digital School, Comunique-se, Escola de Ativismo e UMAPAZ. Já ministrou diversas palestras sobre comunicação e sustentabilidade em universidades como Unesp, Mackenzie, Ufscar e Unimep.

Trabalha como consultor de inteligência em engajamento e redes digitais, desenvolvendo e compartilhando modelos, técnicas e processos visando o aumento da efetividade de campanhas e projetos sociais voltados para a sustentabilidade. Seu trabalho é gerar insights a partir da coleta de dados e informações, buscando compreender as mecânicas entre o relacionamento das pessoas e o tema, facilitando assim a criação de estratégias que potencializem as interações e os resultados.

É fundador do laboratório de inteligência em engajamento e redes digitais SustentaLab, sócio no Coletivo Verde, editor no Atitude Eco, colaborador na Escola de Ativismo e sócio fundador da Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade (Abraps).

Contatos pessoais: Twitter | Linkedin | Facebook | SlideShare | Email: tuliomalaspina@gmail.com

Atitude Eco: Twitter | Facebook | Youtube
SustentaLab: Twitter | Facebook | Linkedin
Coletivo Verde: Twitter | Facebook
Abraps: Twitter | Facebook | Linkedin

Em 15 e 16 de setembro, mutirão de informação e ativismo em defesa dos ecossistemas brasileiros, na redação do Outras Palavras. Reunião preparatória nesta quinta-feira, 30/8

Por Taís Capelini, no blog do Outras Palavras

Submetido às pressões e chantagens da “bancada ruralista” no Legislativo, o Código Florestal Brasileiro vai de mal a pior. Até mesmo os tímidos vetos da presidência da República à lei aprovada pelo Congresso Nacional em maio estão ameaçados. Parte importante da opinião pública, interessada em defender as florestas e demais ecossistemas do país, sente-se de mãos amarradas. Para ajudar a sair deste estado de ânimo, um conjunto de ativistas, movimentos e organizações sociais está preparando, para o fim-de-semana entre 15 e 16 de setembro, um Hack Day. Outras Palavras terá a satisfação de hospedá-lo em sua redação, em São Paulo (endereço e mapa ao final do post).

Hack Day envolve compartilhamento de informações e ativismo. Seu objetivo é produzir produtos de comunicação (notícias, vídeos, campanhas) relacionados a um tema específico. Reúne profissionais de diferentes áreas — desenvolvedores, designers, ativistas, especialistas, jornalistas, artistas, etc. Mas o decisivo é ter pessoas realmente interessadas em colaborar e fazer alguma diferença. Por isso, qualquer cidadão que queira contribuir é bem vindo.A dinâmica da ação é decidida, com quem estiver presente, no início do Hack Day (no caso, às 10h do dia 15/9). Geralmente, elabora-se uma lista de idéias relevantes e produtos importantes para serem produzidos, formam-se grupos e… “mão na massa”! Entre as ideias que estão sendo debatidas, com vistas aos dias 15 e 16/9 estão:

  • Construir animação sobre os efeitos da desfiguração do Código;
  • Descrever a bancada ruralista ao longo do tempo; mostrar quem a financia; mapear a origem de seus votos;
  • Desenvolver aplicativo de celular para os eleitores saberem quais candidatos votaram pela destruição do Código;
  • Compartilhar informações da campanha “Não vote em quem votou contra a Floresta”;
  • Gravar vídeos com atores em defesa dos ecossistemas brasileiros;
  • Levantar todos os infográficos que já existem sobre bancada ruralista e Código Florestal;
  • Desenhar o “jogo da vida” do processo legislativo do Código Florestal;
  • Levantar bases de dados já existentes sobre o tema;

Já está confirmada a presença de representantes do Avaaz, Instituto de Democracia e Sustentabilidade (IDS), Movimento Brasil pelas Florestas, Instituto Socioambiental (ISA), Núcleo Ativista da BioUSP, Matilha Cultural, WWF e Greenpeace. Também assegurou participação o escritor Alceu Castilho, autor do livro Partido da Terra  que mostra a presença dos grandes produtores rurais nos poderes Legislativo e no Executivo de todas as esferas de governo no Brasil.

Precedendo o Hack Day, uma reunião em 30 de agosto às 19h, organizará trabalhos de pré-produção (logística, pesquisa de dados, levantamento de informações). Desde já, é preciso participar virtualmente. Para sugerir outras pautas para a reunião do dia 30 e o próprio hack-day, é só acessar a página do evento no Facebook o banco de pautas coletivo.

Além de ser uma oportunidade de agir por uma causa comum, o Hack Day será uma boa experiência de trabalho colaborativo e de compartilhamento de saberes. Estamos juntos para fazer a diferença!

A redação de Outras Palavras, onde ocorrerão o evento de 15 e 16/9 e a reunião preparatória de 30/8 fica na Rua Augusta, 1239, sala 11, São Paulo (veja mapa) — a quatro quadras da Avenida Paulista e do Metrô Consolação, no sentido Centro.

Leia mais:

  1. Código Florestal: Dilma vetará?
  2. Código Florestal: as razões do Veta Tudo!
  3. Agora: Web-debate sobre o Código Florestal
  4. Grécia para contra a “Troika”
  5. Desmatamento zero ainda não é consenso
  1. luizcarioca reblogged this from tuliomalaspina
  2. tuliomalaspina posted this